Categorias
news

Cuidados em dias quentes

Estamos no verão, época de volume intenso de chuvas, mas também de altas temperaturas registradas nos termômetros. E quando se fala em calor, além dos humanos, os pets também sofrem com os efeitos do sol. Não é frescura! Os cuidados com os animais precisam ser redobrados nesta época do ano. O veterinário amigo do Petspot, Caio Padilha, fala sobre o assunto. Veja abaixo.

O cão ou gato que possui origem de países frios sofre mais com o calor

Raças desenvolvidas ou que tiveram sua geração em países frios são mais peludos e possuem a pelagem mais espessa, por isso, eles são preparados para o frio. Como o Brasil é um país tropical, esses animais geralmente têm mais sensibilidade às altas temperaturas, e sim, eles sofrem com o calor. “O Spitz Alemão e o Shih Tzu são algumas dessas raças que foram trazidas para o Brasil e que têm uma sensibilidade maior ao calor”, explica o veterinário Caio.

Sinais que os animais apresentam quando estão passando calor

GATOS

  • Eles salivam mais, se lambem mais, podem procurar cantos mais frescos da casa, esticar as patas ou colocá-las pra cima para ficarem mais no azulejo e assim, dissiparem um pouco do calor.

CÃES

  • Mostram-se mais ofegantes e inquietos, algumas raças tendem a deitar com a barriga pra baixo. Em locais onde tem solo, eles cavam para terem uma terra mais fresca e deitarem ali. Geralmente, os cães também procuram os locais mais frescos da casa, podem permanecer em frestas de quartos que possuem ar condicionado ou em frente ao ventilador. “No cachorro, é mais comum a língua pra fora quando ele está com calor. O cão não perde temperatura por transpiração, e sim, pela respiração. Ele faz uma hiperventilação para perder o calor, então toda vez que ele está se sentindo quente, ele tende a ter uma dispneia, ou seja, ele vai respirar mais rápido e ofegante e tende a tirar a língua pra fora, que é uma forma dele perder calor”, conta Caio Padilha.

Dicas do Veterinário

  • Deixe seu animal abrigado em ambiente arejado e ventilado, desabrigado do sol e com bastante sombra disponível;
  • Não deixe seu pet em cômodos fechados. Assim, ele tem a liberdade de procurar um lugar mais fresco, se preciso;
  • Sempre mantenha água fresca para o seu cãozinho ou gato. Uma dica: Coloque gelo na água para que ele possa perder um pouco do calor corporal e se refrescar;
  • Se tiver condições, deixe seu pet em ambiente com ar condicionado ou ventilador ligado;
  • Cuidado com as patinhas no asfalto quente! Para evitar risco de lesão, caminhe com seu animal logo pela manhã, além da temperatura ser mais amena, seu pet vai iniciar o dia com uma atividade física e isso ajudará a reduzir a ansiedade dele durante o dia. Caso não seja possível, opte pelos passeios no final da tarde ou à noite.
  • Todo animal gosta de passeio, então mesmo você tendo uma casa muito grande, um passeio com o tutor sempre é recomendado, porque além de prazeroso, ele pode fazer as necessidades dele na rua. Mas lembre-se: leve sempre um saquinho para recolher as fezes do seu animal.
  • Encontre o horário ideal para a caminhada com seu pet. Se você tem horário disponível somente às 12h, leve-o em um lugar que tenha grama, árvore e sombra e que não seja no asfalto, assim você não prejudica o seu bichinho. Pode ser uma praça perto de casa, um bosque, clube.

Sempre tenha cuidado com o animal pensando como se fosse pra você. Se você sente calor, ofereça ao seu gatinho ou cão tudo o que eles precisam: muita água e sombra fresca. “Tudo o que possa amenizar o calor animal, assim como se fosse pra você, para um humano, você pode trazer isso para o animal também”, conclui Padilha.